17 de julho de 2013

Google está testando sistema de criptografia para proteger documentos de usuários do Drive

A empresa está em busca de maneiras para proteger os arquivos dos usuários de seus serviços. O movimento poderia conter as tentativas de exigência de dados do governo






Segundo fontes do site CNET, a Google começou a experimentar um sistema de criptografia de arquivos do Google Drive (serviço de armazenamento na nuvem da empresa), com a tentativa de proteger os dados de usuários e conter as tentativas do governo dos EUA e de outros países em vasculhar os arquivos armazenados pelos usuários do serviço.

Segundo fontes, a empresa está ativamente testando o sistema de encriptação para arquivos. Fontes próximas do projeto disseram que uma pequena porcentagem de arquivos do Google Drive já está criptografado.



O movimento pode diferenciar de outras empresas do seguimento

"Mecanismos como este poderia dar as pessoas mais confiança e permitir-lhes a começar fazer backup com seus dispositivos em um todo"  - disse Seth Schoen, tecnologista da Eletronic Frontier Foundation, São Francisco.

Tudo isso indica que a Google não seria capaz de divulgar conteúdos para o governo.

Muitas empresas da WEB costumam usar criptografia, como HTTPS para proteger os dados de usuários enquanto é transmitido. Mas é incomum ver arquivos criptografados armazenados na nuvem (exceto o MEGA - de Kim Dotcom), tudo isso pela alta despesa computacional que é adicionado e a complexidade que se tem na indexação e busca de dados criptografados.

O porta-voz da Google, Jay Nancarrow recusou-se a responder as perguntas feitas sobre a criptografia de arquivos no Drive.

Caso Microsoft




Olhando pala o outro lado da rua, podemos ver que, segundo dados vazados por Edward Snowden, mostram que a Microsoft trabalhou com a NSA (Agência de Segurança Nacional) para burlar o seu próprio sistema de encriptação. Fazendo assim o governo ter um acesso muito mais rápido aos documentos.

A Microsoft, hoje, negou o que foi declarado.

A empresa (MS) disse que as contas dos usuários do Outlook, Skype, SkyDrive e outros serviços não tem acesso direto pela Agência de Segurança Nacional (NSA).

"A Microsoft não entrega um acesso direto e sem barreiras aos nossos clientes" - diz o diretor jurídico do grupo, Brad Smith, no próprio site da Microsoft.

"Se um Estado pede dados de clientes, inclusive motivos de segurança nacional, deve seguir os procedimentos legais aplicáveis"

"Apenas uma pequena porção, gração de percentual, dos dados de nossos clientes foram objeto de um pedido do Estado vinculado ao Direito Penal, ou à Segurança Nacional" - completou.


____________________________________________________________________________


Então pessoal do Safari Geek, o que vocês tem a dizer sobre o que a Google está testando e o caso da MS?